a a a
>> voltar
 
 

VIDEOGAME É TEMA DE SÉRIE DE HQS DE MAURICIO DE SOUSA,

VIDEOGAME É TEMA DE SÉRIE DE HQs DE MAURICIO DE SOUSA,

PUBLICADA NA REVISTA TURMA DA MÔNICA – UMA AVENTURA NO PARQUE DA MÔNICA



A série de histórias em quadrinhos Games na Real, de Mauricio de Sousa, acaba de ser lançada e será publicada, mensalmente, periódicamente, na revista Turma da Mônica – Uma Aventura no Parque da Mônica – a primeira parte já está nas bancas.



As histórias destacam temas relacionados à força dos quadrinhos, desenhos animados e games na formação das crianças e querem despertar o espírito crítico nesse público a respeito da sua relação, principalmente, com o universo dos videogames.



O argumento principal da série é “O que aconteceria se os personagens dos jogos eletrônicos se recusassem a ser manipulados e entrassem na vida real para cobrar seus direitos?” Nesta situação, a Turma da Mônica enfrenta uma “rebelião” desses personagens quando Cebolinha e Cascão jogam mais uma partida nos games.



Muitos acreditam que as crianças estão abandonando o ato de leitura por gastarem suas horas com jogos eletrônicos – e em alguns casos podem estar certos. Com a série Game na Real, Mauricio procura criar na criança um questionamento sobre os videogames, com uma linguagem que faz o leitor infantil avaliar se exagera ou não no tempo que destina aos jogos eletrônicos.



Para a pedagoga Adriana Friedmann, doutoranda em Antropologia pela PUC e mestre em metodologia do ensino pela UNICAMP, que teve acesso às duas primeiras histórias antes de serem publicadas, o material traz à tona questões sobre o que poderia estar por trás da criação ou do criador dos games. “O material é interessante, chama a atenção das crianças que quer atingir e é bem criativo”, observa.



As histórias “Games na Real” pretendem passar para as crianças, de forma suave, um questionamento do uso dos games e até que a compulsão pelo joguinho pode – e deve – ser controlada. A humanização dos personagens tenta ser um movimento contrário à banalização da violência que muitos jogos promovem: mortes com muito sangue e violência.



Nesse sentido, Games na Real é uma tentativa de desenvolver um sentimento crítico capaz de diferenciar o que é real do que é virtual e pretende instigar a imaginação das crianças para inovar e participar da criação de novos jogos.



“Achei interessante a ideia de criar um diálogo entre os personagens do Mauricio de Sousa e os robozinhos; a ideia de cidade subterrânea pode ser muito explorada e desenvolvida nos próximos episódios. As crianças gostam mesmo desta temática. Fiz a experiência de mostrar o material para um menino de 10 anos e pedi que me contasse suas impressões: ele gostou e comentou que poderiam ser criados inventados ‘chips orgânicos’ para as próximas histórias”, comenta Adriana Friedmann.

Também, nas bancas, a revista “Cebolinha” nº 29 traz uma história brincando com o famoso game” Guitar Hero” apelidado de “Guitarrero”.



Adriana Friedmann, doutoranda em Antropologia pela PUC, mestre em metodologia do ensino pela UNICAMP, pedagoga pela USP, cofundadora da Aliança pela Infância, coordenadora e docente do curso de pós-graduação em Educação Lúdica ISE Vera Cruz, autora de livros na área do brincar e da infância.

















Sobre Mauricio de Sousa:



Mauricio de Sousa iniciou sua carreira como ilustrador na região de Mogi das Cruzes, próximo de Santa Isabel, onde nasceu. Aos 19 anos, mudou-se para São Paulo e, durante cinco anos, trabalhou no Jornal Folha da Manhã (atual Folha de S.Paulo) escrevendo reportagens policiais. Em 1959, criou seu primeiro personagem, o cãozinho Bidu. A partir daí vieram, Cebolinha, Cascão, Mônica e tantos outros. Em 1970, lançou a revista Mônica, com tiragem de 200 mil exemplares. Depois de passar pela Editora Abril e Editora Globo, assinou contrato com a multinacional italiana Panini, que publica suas revistas desde 2007.



O autor já alcançou o extraordinário número de 1 bilhão de revistas publicadas. Mais de 100 empresas nacionais e internacionais são licenciadas para produzir quase 3 mil itens com os personagens de Mauricio de Sousa, suas criações já chegaram a mais de 120 países, em 50 idiomas.



Em 2005, lançou o personagem Ronaldinho Gaúcho que em menos de um ano ganhou publicações em mais de 20 países e centenas de produtos infantis lançados na Europa.



Em 2007, num feito inédito, o UNICEF – Fundo das Nações Unidas para Criança e Adolescência – nomeou como embaixadora a personagem Mônica, criação de Mauricio inspirada em sua segunda filha. Nesta ocasião, Mauricio de Sousa foi nomeado Escritor para Crianças do UNICEF.



Suas mais recentes criações são Tikara e Keika, personagens especialmente criados para as comemorações do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil que já fazem parte das histórias da Turma da Mônica. Seu recente lançamento, Turma da Mônica Jovem, em 2008, é considerado o maior sucesso na área de quadrinhos dos últimos 30 anos – só as quatro primeiras edições venderam, juntas, mais de 1,5 milhão de exemplares.



Em 2009, Mauricio de Sousa completa 50 anos de carreira.

Para mais informações sobre A Turma da Mônica, visite: http://www.monica.com.br



Principais prêmios, títulos e homenagens



• Prêmio Gran Guinigi, pela revista Mônica, no Congresso Internacional de Lucca, Itália, 1971.



• Troféu Yellow Kid, o “Oscar dos Quadrinhos Mundiais”, no Congresso Internacional de histórias em quadrinhos de Lucca, Itália, 1971.



• Diploma do Ministério da Aeronáutica Membro Honorário da Força Aérea Brasileira, 1991.



• Honrado pelo presidente da República com a medalha dos Direitos Humanos, Brasília, 1998.



• Prêmio de Literatura Infantil da Academia Brasileira de Letras pelo livro A Turma da Mônica, 1999.



• Prêmio Destaque de Comércio Exterior (outorgado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil, como reconhecimento e incentivo ao segmento exportador), Rio de Janeiro, 2002”.



• Medalha e certificado de Campeão de Saúde das Américas da PAHO (Organização Pan-Americana da Saúde), pela valiosa contribuição para as campanhas de promoção da saúde e para a melhoria da qualidade de vida das populações das Américas, Washington, 2002.



• Certificado do ISO – Instituto Solidariedade –, como reconhecimento da Empresa Solidária Mauricio de Sousa Produções pela contribuição junto às organizações comunitárias não-governamentais, São Paulo, 2002.



• Título de Doutor Honoris Causa da Universidade La Roche, de Pittsburgh, pelos serviços prestados ao público infantil, 2001.



• Audiência com Sua Santidade Papa João Paulo II, no Vaticano e Medalha do Vaticano confirmando a sua nomeação como Membro do Conselho Administrativo do Centro Cultural Papa João Paulo II em Washington, DC, 2004.



• Homenagem da Escola de Samba Unidos do Peruche, no carnaval de São Paulo, com o enredo Com Mauricio de Sousa, a Peruche abre alas, abre livros, abre mentes e faz sonhar, 2007.



• Em maio de 2008, Mauricio de Sousa foi condecorado com a Medalha de Vermeil, honraria conferida anualmente pela Academia de Arte, Ciência e Letras da França, entidade criada em 1915 para defender, estimular e promover a arte, cultura, francofonia (adoção do idioma francês) e os criadores e talentos destacados nessas áreas.



• Também em maio de 2008, Mauricio de Sousa é indicado, numa pesquisa realizada pelo Ibope para o Instituto Pró-Livro, como um dos dez escritores mais admirados do Brasil.



Informações para imprensa



Litera – Construindo Diálogos / www.litera.com.br

Unidade Relacionamento com imprensa

Maria Luiza Paiva / luiza@litera.com.br

Atendimento: JAL / jal@litera.com.br

Tel.: 55 11 3673-7270

maio/2009