a a a
>> voltar
 
 

PROJETO “MÚSICA E DANÇA” OFERECE WORKSHOPS GRATUITOS DE DANÇAS ÉTNICAS COM MÚSICA AO VIVO,NO CENTRO CULTURAL SÃO PAULO, DIAS 9 E 16 DE DEZEMBRO

Nos dias 9 e 16 de dezembro, ao meio-dia, no Teatro Adoniran Barbosa do Centro Cultural São Paulo, acontecem os workshops do Projeto Música e Dança – uma parceria entre a professora, bailarina e coreógrafa Betty Gervitz e o grupo musical Mutrib. Além da apresentação de 30 minutos de danças étnicas com trilhas sonoras de grupos musicais que revitalizaram a música folclórica e coreografias de seus países, haverá cursos gratuitos, com música ao vivo, com danças de roda tradicionais, focalizando principalmente as dos Bálcãs, com a duração de aproximadamente uma hora, para todos que estiverem presentes na platéia e passando pelo Centro Cultural São Paulo.



O Projeto Música e Dança nasceu da vontade de apresentar a dança étnica não somente como uma dança do passado, mas também como do presente. A união entre Betty Gervitz e o grupo musical Mutrib tem o objetivo divulgar a dança étnica tradicionalmente como ela é, ou seja: realizada em pequenos vilarejos e praças, em volta dos músicos em celebração à vida.



Para aprofundar os conhecimentos nas danças étnicas e na música, Betty viajou para diversos lugares do mundo em busca de técnicas modernas e importantes tratamentos corporais. “Em cada lugar pesquisei e encontrei professores que me despertaram para as mais diferentes culturas”, conta a bailarina. Betty viajou para diversas partes do mundo como Estados Unidos, Espanha, Oriente Médio, Marrocos, Turquia, Leste Europeu, entre outros, e concluiu a importância que a dança tem no contexto comunitário e solidário. Pensando nisso, a coreógrafa chamou o grupo musical Mutrib para uma pareceria na qual deu origem ao Projeto Música Dança.



De acordo com Betty, para ensinar a dança étnica é necessário compreender sua origem e respeitar todos os povos e religiões. “Percebi que a dança étnica é para todos. Ela pode ser feita com muita ou pouca técnica. Ela é a expressão da cultura pelo movimento e o que mais importa é estar com o grupo criando um sentimento de pertencer, de fazer parte, pois a dança promove a inclusão social.”, explica a professora e coreógrafa.



O objetivo de Betty como professora, é aliar a diversão à saúde. “Desconheço qualquer atividade física que traga tantos benefícios como o dançar, principalmente se tratando do equilíbrio emocional. A música associada ao movimento, é um par perfeito”, diz. Segundo Betty, a dança serve como um veículo para trabalhar o corpo do aluno desenvolvendo várias habilidades e capacidades ao mesmo tempo.



SERVIÇO

Data: 9 e 16 de dezembro

Local: Centro Cultural São Paulo

Endereço: Rua Vergueiro, 1000

Horário: meio-dia

Gratuito



Sobre Betty Gervitz



Betty Gervitz é Formada em Educação Física e em Fisioterapia. Atua profissionalmente como professora, bailarina, coreógrafa e fisioterapeuta. Foi aluna e assistente do coreógrafo Ivaldo Bertazzo, em 1982. Em 1992, junto com André Trindade criou o Estúdio A & B - escola que teve como objetivo despertar o aluno para o movimento. Anualmente, produz pequenos espetáculos semi - profissionais. O espetáculo profissional mais recente que fez como coreógrafa, diretora e bailarina, foi o Com-Fluência, junto com a bailarina Sonia Galvão que estreou no Centro Cultural São Paulo em 2005, em 2006 na galeria Olido e no Sesc Santana, seguindo com apresentações em salas alternativas. Neste ano de 2008 deu início ao Projeto Música e Dança, uma parceria com o grupo musical Mutrib. As aulas regulares de dança proferidas por Betty Gervitz iniciam-se a partir do dia 2 de fevereiro de 2009 em novo endereço: O ESPAÇO JERICÓ, que fica na Rua Jericó, 217- Vila Madalena; telefone 3032-3790; mais informações com Dora.



Sobre o grupo musical Mutrib



O MUTRIB nasceu da convergência dos interesses musicais multiculturais de músicos de destaque do cenário musical paulistano, aliados à experiência do clarinetista americano Stewart Mennin, um dos precursores do atual sucesso da música dos Bálcãs nos EUA, que pesquisa há mais de 30 anos o repertório musical da Europa Oriental. Junto com ele, Gabriel Levy (Mawaca, Quarteto Original, Orquestra Mundana) e Ma3 (grupo Arabesque e os cds autorais Melodia dos Ventos e Dança do Fogo) iniciaram uma pesquisa aprofundada sobre o repertório do Mediterrâneo Oriental e dos Bálcãs (Grécia, Turquia, Macedônia, Romênia, Bulgária, Albânia, Egito, Palestina, Israel).

O projeto ganha corpo com a colaboração dos percussionistas Roberto Angerosa (Cia. Alaire, Fortuna); Valéria Zeidan (Mawaca, Tarsila) e Éder "O" Rocha (Mestre Ambrósio), músicos que se dedicam há anos à pesquisa da percussão mundial. O trabalho ganha uma essência mais balcânica quando acrescenta à formação a tuba de Deivid Peleje.

Na Turquia, o termo mutrib significa "a energia que emana do encontro de músicos". E o mutrib desses músicos brasileiros celebra essa união do oriente e ocidente com um repertório que valoriza tanto aspectos similares entre uma cultura e outra como destaca as diferenças entre as músicas de cada região.





Informações para imprensa:

Lítera – Construindo Diálogos / www.litera.com.br

Unidade Relacionamento com Imprensa

Maria Luiza Paiva: luiza@litera.com.br

Telefone: 55 11 3673 7270