a a a
>> voltar
 
 

OVO É UMA ESCOLHA NUTRITIVA

OVO É UMA ESCOLHA NUTRITIVA

O ovo é um dos alimentos mais nutritivos da natureza e uma excelente fonte de proteína de alta qualidade. Quase todos os nutrientes que o corpo necessita podem ser encontrados no ovo. Possui 13 vitaminas e minerais em quantidades variadas necessárias para o bom funcionamento do organismo, incluindo colina, ácido fólico, ferro, zinco e outros, além de proteínas de alto valor biológico, gorduras insaturadas (saudáveis) e antioxidantes, com apenas 70 calorias. O pacote de benefícios do ovo é extenso. Veja:

Um ovo grande contém:
• somente 70 calorias
• 6 gramas de proteína
• é uma fonte excelente de colina e vitamina B12
• contém somente 4,5 gramas de gorduras (7% das necessidades diárias), sendo dois terços de gorduras insaturadas (boas)
• a gema é uma boa fonte de antioxidantes, como luteína e zeaxantina


Cinco razões para comer ovos

Controle de peso: Proteínas de alta qualidade dos ovos contribuem para a sensação de saciedade prolongada e para manter a energia do organismo.

Manutenção da força muscular e redução da perda de massa muscular: Pesquisas indicam que as proteínas do ovo ajudam a prevenir a perda de massa muscular em pessoas idosas e auxiliam na manutenção da força muscular.

Gestação saudável: A gema do ovo é excelente fonte de colina, um nutriente essencial que contribui para o desenvolvimento do sistema nervoso central do feto, importante para a redução dos defeitos do tubo neural e na formação do centro da memória. Dois ovos provem em média cerca de 250 miligramas de colina, ou seja, metade das necessidades diárias para uma mulher gestante ou amamentando.

Função cerebral: Colina também é muito importante para a função cerebral em adultos, pois é um componente chave para a neurotransmissão, relacionada à memória.

Saúde da visão: Luteína e zeaxantina, dois antioxidantes encontrados no ovo, ajudam a prevenir a degeneração macular, que é a principal causa da cegueira dos idosos. Pesquisas demonstram que a luteína dos ovos é mais biodisponível quando comparada com a luteína encontrada em vegetais. Isso se deve à presença de lipídios na gema que favorecem a absorção deste nutriente.

ELIMINANDO MITOS SOBRE O COLESTEROL

Deve-se restringir ou não a quantidade de ovos consumidos?

Muitos brasileiros ainda estão confusos a respeito de que tipo de alimentação deve ser consumida e qual deve ser evitada. Muitos ainda evitam ovos, por medo do colesterol, apesar dos resultados dos últimos 30 anos de pesquisas nunca terem comprovado a relação entre o consumo de ovo e as doenças cardíacas. O consumo de ovo diariamente não aumenta o risco de doenças do coração em pessoas saudáveis.

Como resultado deste mito, muitos brasileiros estão se privando dos benefícios proporcionados pelos nutrientes especiais do ovo. A ciência estabelece resultados consistentes. Um estudo realizado em 2007 com 9.500 pessoas reportado no Medical Science Monitor, demonstrou que o consumo de um ou mais ovos por dia não aumentou o risco de doenças do coração ou infarto entre adultos saudáveis, e que o consumo de ovos pode estar relacionado à redução da pressão sangüínea. Os pesquisadores concluíram que a recomendação genérica para limitar o consumo do ovo pode estar distorcida, particularmente quando as contribuições nutricionais do ovo são consideradas.

Uma meta análise realizada pelo pesquisador Ying Rong, orientado por Frank Hu, professor na Harvard School of Public Health, em Boston, conclui que um consumo maior de ovos - um por dia - não está associado ao aumento do risco de doenças cardiovasculares ou infarto em pessoas saudáveis (fonte: Rong et al. British Medical Journal 2013; 346: e8539).

ENTENDENDO O COLESTEROL

Níveis saudáveis de colesterol reduzem o risco de doenças do coração. O colesterol é produzido naturalmente pelos seres humanos porque ele é fundamental para a síntese de hormônios, vitamina D e para manter as células saudáveis. Estudos mostram que gorduras saturadas e gorduras trans são os grandes vilões para as doenças cardiovasculares. O consumo do ovo associado a uma alimentação equilibrada não provoca riscos à saúde.

Um adulto normal ao ingerir um ovo por dia pode aumentar o risco de doenças do coração?

Pesquisas demonstraram que não existe correlação entre a dieta com ovos e o desenvolvimento de doenças coronarianas em indivíduos saudáveis. O colesterol ingerido na dieta tem bem menos impacto no nível de colesterol do sangue que a gordura saturada que é consumida (fonte: Hu et al. Journal of the American Medical Association 1999; 281:1387-94).

Se há uma preocupação com os níveis sanguíneos de colesterol, os passos mais importantes são:
1- Manter um peso saudável
2- Manter atividade física freqüente
3- Seguir o padrão de alimentação reduzindo as gorduras saturadas e gorduras trans

Se há ingestão de uma dieta balanceada, não é necessário cortar nem reduzir o consumo de ovos, a menos que o médico ou nutricionista faça esta recomendação. Se for aconselhada uma mudança de dieta para reduzir o colesterol sanguíneo, o mais importante a fazer é cortar as gorduras saturadas ( presentes em queijos, manteiga, gordura das carnes, embutidos, creme de leite etc). É aconselhável aumentar a quantidade de frutas, verduras e fibras na dieta.

Gorduras insaturadas, na verdade, podem reduzir o colesterol sanguíneo. Substituir alimentos que contém gorduras saturadas por alimentos que possuem gorduras insaturadas (azeite de oliva, abacate, nozes e sementes, óleos vegetais) é uma boa medida. As gorduras trans – encontradas em recheio de biscoitos, bolos, massas, algumas margarinas e alimentos que levam gordura hidrogenada – devem ser evitadas ao máximo, pois aliadas às gorduras saturadas aumentam os níveis de colesterol ruim no sangue (LDL).

Fonte: http://www.eatwell.gov.uk/healthissues/healthyheart/cholesterol/#elem234961


PARA CONSUMIR OVOS COM SEGURANÇA

A “Cartilha sobre Boas Práticas para Serviços de Alimentação” publicada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) presta esclarecimentos sobre os cuidados que devem ser tomados durante a manipulação de alimentos. O trabalho do manipulador de alimentos é fundamental para garantir a saúde dos consumidores. O INSTITUTO OVOS BRASIL, sempre apoiando essa iniciativa e reafirmando sua missão de expandir os conhecimentos sobre ovo sob vários aspectos - principalmente aqueles ligados à segurança alimentar - destaca as seguintes recomendações:

Como armazenar e manipular ovos?
• Compre sempre ovos de origem conhecida e inspecionados pelos serviços oficiais;
• Ao comprar ovos, certifique-se da data de validade e que não estejam com a casca suja, trincada ou quebrada;
• Mantenha-os em local limpo, fresco e arejado, preferencialmente em geladeira após comprá-los; Lave com água e sabão as superfícies de trabalho, utensílios e mãos antes de manusear o produto cru;
• Lave os ovos somente antes de utilizá-los, em água corrente, sem imersão;
• Coma ovos e os alimentos feitos dele bem fritos e cozidos;
• Os alimentos preparados com ovos devem ser armazenados na geladeira para melhor conservação.

Segurança biológica do OVO

O risco de um ovo ser contaminado por Salmonella é muito baixo, cerca de 1 em cada 20.000 ovos. Mas não existe razão para se correr o risco de contrair infecções alimentares. O manuseio apropriado e higiênico do ovo pode reduzir ou até eliminar esse risco.

Os ovos não são a única fonte de Salmonella. As Salmonellas podem ser encontradas na natureza e são facilmente disseminadas. Existem mais de 2.500 tipos de Salmonelas. A bactéria pode ser encontrada no trato intestinal de todos os animais, aves, répteis, insetos, humanos e vegetais.

O ovo propriamente dito pode não estar contaminado quando o compramos, mas pode se contaminar quando manuseado e ou armazenado indevidamente. Manusear os ovos com as mãos sujas, o contato dos ovos com os animais de estimação e com outros alimentos contaminados, armazenados em locais sem higiene e com presença de insetos, e também em ambiente e equipamentos de cozinha não higienizados, podem contaminar os ovos por Salmonelas ou mesmo outras bactérias prejudiciais a saúde humana.

Mas a casca do ovo não o protege das bactérias?

Sim e não. O ovo tem várias barreiras de proteção natural para prevenir a entrada e crescimento de bactérias em seu interior. Estas barreiras protegem o ovo em seu caminho da galinha até a sua casa. Apesar de proteger, a casca do ovo tem poros e não é totalmente à prova de bactérias. Para uma segurança adicional.

Existem ainda as barreiras internas do ovo: as membranas internas da casca e da gema possuem substâncias que impedem a infecção bacteriana. A clara possui camada com pH alcalino, que dificulta o crescimento bacteriano e uma camada densa, que inibe a movimentação da bactéria. Portanto existem várias camadas de proteção para que as bactérias não atinjam a gema facilmente, que é onde estão os nutrientes necessários para a sua multiplicação.



Sobre o Dia Mundial do Ovo

A idéia de criar o Dia Mundial do Ovo partiu da International Egg Commission, que o considera um ingrediente perfeito para qualquer refeição. Cozido, mollet, frito ou mexido; no café da manhã, almoço, lanche ou jantar são apenas algumas maneiras de ingeri-lo. A verdade é que o ovo é um dos produtos alimentares mais versáteis existentes no mercado e que tem muito para oferecer.

A American Council of Science and Health anunciou que não comer ovos não é uma atitude prudente, uma vez que o organismo perde todos os aspectos positivos do produto: é tão nutritivo quanto a carne ou o peixe, é rico em proteínas que são essenciais para a construção e reparação dos tecidos. Uma opinião também partilhada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) que considera o ovo um produto excelente, tendo em conta a sua composição: é rico em vitaminas do grupo B, em sais minerais e apresenta apenas cerca de 11% de gordura, concentrada apenas na gema.

Por todos estes motivos surgiu o Dia Mundial do Ovo, cujo objetivo é desmistificar que o consumo de ovos faz mal à saúde, especialmente aos níveis de colesterol. Estudos científicos têm demonstrado que em uma pessoa saudável, cerca de 4 a 5 ovos por semana não provocam qualquer aumento dos níveis de colesterol; no entanto, pessoas que já tenham o colesterol sanguíneo muito elevado não devem abusar deste alimento, ressalva a International Egg Comission.

O Dia Mundial do Ovo é comemorado na segunda sexta-feira do mês de outubro, e foi instituído para celebrar em todo o mundo e divulgar a todos, de consumidores a profissionais da saúde, as grandes vantagens deste alimento único - o ovo. Desde seu início em 1996 o Dia Mundial do Ovo tem crescido e a sua influência tem se espalhado por todo o mundo. Hoje é celebrado com eventos especiais em um número cada vez maior de países, desde as Américas até à Mongólia, da Austrália à China e por toda a Europa.

Este dia é celebrado todos os anos em grande estilo, mas sempre com diversões e eventos de especial interesse para o país em questão. Por exemplo, eventos recentes incluíram:
• Festivais do ovo
• Chefes de cozinha famosos aderindo à causa e concursos de culinária
• Realização de receitas especiais
• Eventos infantis
• Anúncios na TV, rádio e imprensa
O Dia Mundial do Ovo contribui para divulgar os benefícios do ovo, que agrada pessoas de todos os cantos do mundo, e é um dos principais ingredientes de uma dieta nutritiva e saudável.


SOBRE O INSTITUTO OVOS BRASIL

O INSTITUTO OVOS BRASIL - entidade sem fins lucrativos - foi criado com a missão de expandir os conhecimentos sobre ovo como fonte nutricional e seus benefícios especiais para a saúde. A entidade tem como um dos principais objetivos promover o produto "ovo" como um alimento saudável, de alto valor nutricional e seguro para consumidores de todas as idades e classes sociais. Fundado em 2007, o INSTITUTO OVOS BRASIL tem sua atuação em todo território nacional. O site da instituição reúne informações de qualidade e de credibilidade para o público em geral e profissionais de diversas áreas (www.ovosbrasil.com.br).

OVO - Um ovo tem 13 nutrientes essenciais em quantidades variadas necessários para o bom funcionamento do organismo, incluindo proteínas de alto valor biológico, colina, ácido fólico, ferro, zinco e outros. Tudo isso com apenas 70 calorias. Ovos são importantes para as dietas de emagrecimento, ganho de força muscular, funcionamento do cérebro, a saúde dos olhos e muito mais. Um ovo grande contém 6g de proteínas, e quase metade delas está na gema. Tem 4,5 g de gorduras (7% das necessidades diárias), e somente um terço desta é gordura saturada. Não contém gordura trans. A Associação Americana de Cardiologistas (American Heart Association) corrigiu suas recomendações para consumo de ovos: “Não existe mais uma recomendação específica de quantidade de gemas que uma pessoa pode consumir por semana”.



Informações para imprensa

INSTITUTO OVOS BRASIL www.ovosbrasil.com.br
Lítera – Construindo Diálogos / www.litera.com.br
Unidade Relacionamento com Imprensa
Maria Luiza Paiva: luiza@litera.com.br
Atendimento: Olívia Acerbi – olivia@litera.com.br 11 98920-6829
Telefone: 55 11 3673 7270

Outubro/2014