a a a
>> voltar
 
 

LIVRO ‘ESCRAVIDÃO NUNCA MAIS !’ REVELA CONSEQUÊNCIAS DA ESCRAVIDÃO NO BRASIL E DESTACA TRAJETÓRIA DO PRECURSOR DO ABOLICIONISMO NO PAÍS -O ADVOGADO, POETA E JORNALISTA E EX-ESCRAVO LUIZ GAMA

LIVRO ‘ESCRAVIDÃO NUNCA MAIS !’ REVELA CONSEQUÊNCIAS DA ESCRAVIDÃO NO BRASIL E DESTACA TRAJETÓRIA DO PRECURSOR DO ABOLICIONISMO NO PAÍS -O ADVOGADO, POETA E JORNALISTA E EX-ESCRAVO LUIZ GAMA



Editado pela LETTERA.DOC, lançamento do livro ‘ESCRAVIDÃO NUNCA MAIS !’, de autoria do advogado Nelson Câmara, será no na Saraiva Megastore Shopping Pátio Paulista, em São Paulo, no dia 18 de novembro, quarta-feira,
das 18h30 às 22h00

Quem ta gemendo
Negro ou carro de boi?
Carro de boi geme quando quer,
Negro, não,
Negro geme porque apanha,
Apanha pra não gemer...
Solano Trindade, Solano Trindade,
o Poeta do povo. 2008, p. 41.

Dois fatos políticos importantes ganham contornos cada vez mais relevantes na sociedade brasileira: de um lado, a Lei 11.645/2008, que determina a obrigatoriedade do ensino das histórias e culturas afrobrasileira e indígena nos estabelecimentos de ensinos fundamental e médio, públicos e privados; de outro, o Projeto de lei número 213, de 2003, do Senado Federal, de autoria do Senador Paulo Paim (PT-RS), instituindo o Estatuto da Igualdade Racial. É neste cenário que acontecerá, no próximo dia 18 de novembro, na Saraiva Megastore Shopping Pátio Paulista, em São Paulo, o lançamento do livro “Escravidão Nunca Mais!”, do advogado Nelson Câmara (EDITORA LETTERA.DOC),

A publicação sintetiza, com riquezas de detalhes, a escravidão, o abolicionismo, a trajetória de Luiz Gama (1830 - Salvador, BA/1882 - SP) e as atuais propostas de ações afirmativas, trazendo à tona um profundo debate sobre as conseqüências da escravidão no Brasil. A obra tem o objetivo de analisar o processo escravagista brasileiro, procurando extrair elementos históricos e sociais que apontem as razões, raízes e efeitos posteriores à escravidão em nosso País, bem como, na atualidade, a reflexão e discussão de política de ações afirmativas para a inclusão social dos afro e índiodescendentes.

Tudo isso associado ao aparecimento do fenômeno libertário Luiz Gama - personagem do século XIX, ex-escravo que veio menino da Bahia e que viveu em um dos maiores centros escravocratas do país, a cidade de São Paulo, já em pleno desenvolvimento da cultura da cana-de-açúcar e do café e tornou-se um símbolo nacional de resistência negra ao escravismo, de liderança, de luta política, intelectual, jornalística e jurídica e um grande tribuno do júri na defesa gratuita dos escravos.

“O advogado Nelson Câmara, militante histórico dos direitos trabalhistas e sindicais, desenvolveu uma pesquisa minuciosa sobre o negro e o ódio no Brasil para resgatar fatos esquecidos ao longo dos séculos. A obra é um aprendizado, uma viagem pela história do Brasil, que cumpre a função primordial de enaltecer a vida e a luta de um dos maiores juristas do país: o abolicionista negro, Luiz Gama”, observa o senador Senador Paulo Paim (PT/RS), prefaciador do livro.

A publicação está estruturada em quatro grandes temas: ‘A escravidão no Brasil’ , que aborda as questões da escravidão indígena e negra no País, as resistências internas à escravidão, a estrutura social e econômica escravagista, a Inglaterra e o combate ao tráfico e a Legislação contra a escravidão; ‘Os heróis da abolição’ , que discorre sobre o declínio da monarquia, as irmandades no papel de integração e luta, e um intenso levantamento sobre Luiz Gama, o paladino da abolição. O capítulo ‘Transição e consequências da Abolição’ analisa a abolição gradual e a mão-de-obra livre, a escravidão no Brasil e EUA, a Proclamação da República, a sociedade após a abolição, a cor do Brasil e o índios e negros no Brasil de hoje. Por fim, ‘As ações afirmativas’ trata de assuntos atuais como o combate à discriminação racial, da gênese das cotas e da inclusão social , do Estatuto da Igualdade Racial e Lei de Cotas. Na parte que final do livro, ficam as impressões do autor em ‘O Brasil que almejamos’, registros de documentos oficiais e uma ampla referência bibliográfica.

Nelson Câmara relata, em “Escravidão Nunca Mais!”, a importância do projeto de lei que considera a grande revolução social e econômica para a efetiva inclusão dos afro-descendentes na vida nacional de um modo geral e não somente no campo educacional: o Projeto de lei número 213, de 2003, do Senado Federal de autoria do Senador Paulo Paim (PT-RS), instituindo o Estatuto da Igualdade Racial. “Estudos revelam que, se mantido o ritmo atual da entrada de estudantes afrodescendentes nas universidades, públicas ou privadas, em menos de 20 anos, pode não existir a desigualdade no acesso à educação entre negros e brancos”, destaca o presidente da OAB-SP Luiz Flávio Borges D’Urso, responsável pela apresentação do livro.

“O projeto de cotas começou por iniciativa de deputada Nice Lobão (PFL-MA) e sofreu inúmeras emendas e substitutivos, dentre elas, a mais conhecida foi a do deputado Carlos Abicalil (PT-MT) que acaba por instituir a obrigatoriedade das cotas nas universidades e escolas técnicas mantidas pela União. Tal projeto ocasionou um impacto na sociedade brasileira e o debate ganhou tal dimensão que até agora não se chegou a um consenso no Congresso Nacional para aprová-lo. Ao revés, nessa questão de inserção social, o Congresso Nacional continua discutindo a aprovação do Estatuto da Igualdade Racial de iniciativa do Senador Paim. Paulo Paim tem lutado muito nesse sentido, a nosso ver um verdadeiro herói na luta pela aprovação do Estatuto. Porém, inconformado com a resistência dos setores mais conservadores do Congresso, Paim recentemente desabafou: “Está engavetadinho.”(trecho do livro Escravidão Nunca Mais!)

“Esta obra chega em um momento primordial. Com a Lei 11.645/2008 – que determina a obrigatoriedade do ensino das histórias e culturas afrobrasileira e indígena nos estabelecimentos de ensinos fundamental e médio, públicos e privados – milhares de professores têm buscado o conteúdo coerente e didático para a capacitá-lo. Com certeza, este livro é um instrumento fundamental para a reflexão de todos”, comenta Paulo Paim.

Sobre “Escravidão Nunca Mais!, o presidente da OAB-SP Luiz Flávio Borges D’Urso observa: “Mais de quatro décadas de trabalho - como advogado militante e docente de cursos de ensino jurídico - credenciaram o autor a colocar-se diante deste desafio acadêmico e provocante. Sua militância política racial sustenta a incurso ao debate de um tema ainda tabu e político, embora falemos nele (e dele) há pelo menos 300 anos. Em cada recorte observa-se um foco diferenciado do autor nesse longo momento histórico, desde o início da escravidão ao período posterior ao advento da Lei Áurea e todas as consequências dessa prática escravista que os afrodescendentes ainda carregam nos ombros”.

“Defendemos, neste livro, com aprofundamento dos argumentos comparativos contra e a favor do sistema de cotas, que o viável para o Brasil seria a implantação de cotas “sociais” e não “raciais”, evitando-se a inadequada e indesejável polarização artificial de raças. Mas, fica ao leitor, entretanto, após a leitura do livro, a reflexão quanto à responsabilidade da melhor escolha para o país , o melhor sistema para nós. Ademais, é preciso reescrever a história, também, para exaltar a figura épica de Luiz Gama como o verdadeiro “Paladino da Abolição!”

Dedico, esse livro, finalmente, ao povo brasileiro de todas às etnias, sofrido e corajoso, desamparado pelo Estado ao longo dos séculos à exceção de episódicos momentos de nossa história, unido pela língua, costumes e fé, mesclado na incessante mistura de raças chamado de “homem cordial”. Essa “raça morena”, que batizada na secular e odiosa escravidão, aspira agora à implementação de ações afirmativas que o integrem definitivamente em igualdade de condições nas conquistas do mundo moderno.

(Nelson Câmara, em Escravidão Nunca Mais!”).

SOBRE LUIZ GAMA

Como relata o livro, surge a figura gloriosa de Luiz Gama, em São Paulo, ex-escravo que veio menino da Bahia e que aqui acabou por se tornar um grande tribuno do júri na defesa gratuita dos infelizes escravos. Um grande jornalista e intelectual, sempre a serviço da liberdade, ficou para enfrentar os senhores de escravos em sua própria cidadela. Para isso, nutriu-se de imenso ideal e cultura, aliado ao companheirismo de personalidades que acabaram fazendo parte da história do Brasil, como Ruy Barbosa, Castro Alves, Angelo Agostini, Raul Pompeia, Antônio Bento, Silva Jardim, Rangel Pestana, Bernardino de Campos entre tantos outros. Conseguiu esse paladino da Abolição contagiar todos os segmentos da sociedade, do povo à elites, dos ferroviários aos juristas e homens de letra. Em torno dele, a luta abolicionista se centralizou, mudando o olhar do Rio de Janeiro para São Paulo, a exemplo do proprio José do Patrocínio que o saudou especialmente na tribuna da Câmara Federal. Sua morte ocorrida em 24 de agosto de 1882, como documentada no livro, e levando-se em conta o número de habitantes da época, foi o maior cortejo fúnebre da história de São Paulo. Mas, não por ele, pela crueza do destino, haurir a alegria da Abolição, pois faleceu, seis anos antes. Mas, com certeza, foi sua luz que conduziu os abolicionistas até o 13 de maio de 1888.


SOBRE O AUTOR

Nelson Câmara formado pela Universidade Mackenzie onde cursou Direito e posteriormente Macroeconomia na Faculdade de Economia da mesma Universidade. Alguns anos após cursou pós-graduação na Universidade de São Paulo (USP) tendo como professor-orientador o renomado Catedrático Prof. Cesarino Junior. Lecionou Direito do Trabalho e Previdência Social em curso de especialização para os novos advogados nas Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU); atuou como Examinador de Exame de Ordem (OAB/SP) por cerca de 10 anos; foi escolhido em lista sextupla pela OAB/SP e após concorrida sabatina pública para o cargo de Juiz do Tribunal do Trabalho de São Paulo pelo quinto constitucional; atuou como advogado ou chefe do jurídico em dezenas de Sindicatos de São Paulo como o dos Ferroviários, Eletricitários, Rodoviários e outros. Durante vários anos foi também o Chefe da Assessoria Jurídica Trabalhista da Câmara Municipal de São Paulo.
Teve também atuação como jornalista e radialista, ocupando cargos públicos de relevância como Diretor Administrativo do ex-SAMDU (extinta autarquia médica federal) e Administrador Regional de Vila Mariana (parte da Capital de São Paulo) durante a gestão do Prefeito Mário Covas.
Sobre a LETTERA.DOC

A EDITORA LETTERA.DOC, fundada pelo editor e historiador CÁSSIO SCHUBSKY, atua no mercado editorial há 12 anos e caracteriza-se pela excelência de sua produção editorial, especialmente livros. Especializou-se em atividades de pesquisa histórica documental e de história oral. Referência no planejamento, execução e viabilização de trabalhos de pesquisa histórica que resultam em produtos editoriais de qualidade - nos aspectos de imagem, texto e acabamento, sobretudo das publicações impressas –, a EDITORA LETTERA.DOC está preparada para atender o amplo e diversificado mercado editorial - incluindo empresas, instituições, pessoas físicas, fornecedores da cadeia produtiva de livros e consumidores de produtos editoriais.

No catálogo de obras de sucesso da EDITORA LETTERA.DOC, podem ser destacadas, entre outras, as seguintes: “Advocacia – a trajetória da Associação dos Advogados de São Paulo” (2006); “Estado de Direito Já! – os trinta anos da Carta aos Brasileiros” (2007); “Doutor Machado – o direito na vida e na obra de Machado de Assis” (2008); “Vanguarda Pedagógica” (2008); “Atualidade de San Tiago Dantas” (2005, 2ª edição); e “Capítulos da Magistratura – Associação Paulista de Magistrados” (2009).

Nas histórias de pessoas físicas e jurídicas - como biografias, trajetórias institucionais e empresariais, nas sagas familiares ou no resgate de fatos históricos, a EDITORA LETTERA.DOC posiciona-se de forma criteriosa e rigorosa com relação aos seus processos de trabalho - desde a apuração e acuidade das informações até a produção de textos e qualidade gráfica dos produtos editoriais.

A sede da Lettera.doc ocupa um amplo escritório no centro de São Paulo (Edifício Eduardo Loureiro – rua 7 de Abril, nº235, conj. 305), em um prédio histórico com 80 anos de existência, o último projeto do renomado arquiteto Ramos de Azevedo – responsável por diversas obras presentes na paisagem urbana de São Paulo, como o Teatro Municipal e o Shopping Light. WWW.LETTERADOC.COM.BR

CÁSSIO SCHUBSKY, 43, formado em direito pela USP e em história pela PUC-SP, editor e historiador, é autor, entre outras obras, de "Advocacia Pública - Apontamentos sobre a História da Procuradoria Geral do Estado de São Paulo"; também é colaborador de jornais e revistas de grande circulação, como Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Época.

SERVIÇO

LANÇAMENTO
ESCRAVIDÃO NUNCA MAIS
DATA: 18 DE NOVEMBRO, QUARTA-FEIRA
Local: Saraiva Megastore Shopping Pátio Paulista
Endereço: Rua Treze de Maio, 1.947 - Paraíso - Piso Térreo Paraíso
São Paulo – SP Tel: (11) 3289-5873 (próximo ao metro Paraíso)

FICHA TÉCNICA

TÍTULO: Escravidão Nunca Mais! - Luiz Gama - o paladino da abolição
AUTOR: NELSON CÂMARA
EDITORA: LETTERA.DOC
Páginas: 516
Preço: R$ 39,00
Distribuição: principais livrarias do País

Informações à Imprensa

Lítera – Construindo Diálogos / www.litera.com.br
Unidade Relacionamento com Imprensa
Maria Luiza Paiva: luiza@litera.com.br;
Telefone: 55 11 3673 7270
Outubro 2009