a a a
>> voltar
 
 

SESC SÃO PAULO, AGÊNCIA MAGNUM E A FUNDAÇÃO HENRI CARTIER-BRESSON TRAZEM A SÃO PAULO A EXPOSIÇÃO

SESC SÃO PAULO, AGÊNCIA MAGNUM E A FUNDAÇÃO HENRI CARTIER-BRESSON TRAZEM A SÃO PAULO A EXPOSIÇÃO
HENRI CARTIER-BRESSON: FOTÓGRAFO


O evento, um dos principais destaques do Ano da França no Brasil, traz uma extensa programação composta por mostra de 133 fotografias do artista francês, lançamento do livro Henri Cartier-Bresson: Fotógrafo, uma parceria entre as Edições SESCSP e a Cosac Naify, além da exposição paralela “Bressonianas”, com fotógrafos brasileiros influenciados por Cartier-Bresson, exibição de filmes e debates com pensadores e pesquisadores brasileiros e franceses.


“Tirar fotos é prender a respiração quando todas as faculdades convergem para a realidade fugaz. É organizar rigorosamente as formas visuais percebidas para expressar o seu significado. É pôr numa mesma linha de mira a cabeça, o olho e o coração”.

Henri Cartier-Bresson


Criador de um estilo inconfundível, aclamado como “o olho do século 20”, Henri Cartier-Bresson (1908-2004) deixou sua marca como um dos mais representativos fotógrafos humanistas da história pela forma como conseguiu mostrar enfaticamente a beleza dos gestos mais simples do homem, ao captar cenas de flagrantes pelas ruas do mundo.
Cartier-Bresson começou a fotografar efetivamente em 1931 influenciado pelos surrealistas - “não pela pintura deles, mas pela percepção do subconsciente”, explica o coordenador geral do projeto Eder Chiodetto. Sua obra ainda hoje inspira gerações de novos fotógrafos e serve de parâmetro para fotodocumentaristas como os que atuam na Magnum, agência criada por Cartier-Bresson e Robert Capa, além de outros, em 1947.

A exposição Henri Cartier-Bresson: Fotógrafo, nome retirado de livro homônimo, abre para convidados no dia 16 de setembro e para o público a partir do dia 17 de setembro seguindo até 20 de dezembro.

A mostra de fotografias do artista francês, com curadoria do editor Robert Delpire, inclui imagens realizadas em 23 países durante mais de 50 anos, entre 1926 e 1979 e está organizada em dois espaços da unidade. No térreo, o coordenador do projeto Eder Chiodetto selecionou 40 imagens que enfatizam o caráter da street photography, caracterizados pelos flagrantes de rua onde o acaso, a poesia dos gestos cotidianos, a geometria se justapõem a uma visão surrealista da vida.
Por meio desta atitude libertária, que Cartier-Bresson adotou a partir do momento que passou a ver o mundo através do visor de sua primeira câmera Leica, o artista desenvolveu uma maneira original de captar e expressar suas impressões sobre o visível, criando uma linguagem que ainda hoje é referência para muitos fotógrafos.
“Tirar fotos é prender a respiração quando todas as faculdades convergem para a realidade fugaz. É organizar rigorosamente as formas visuais percebidas para expressar o seu significado. É pôr numa mesma linha de mira a cabeça, o olho e o coração”. Esta frase define como o fotógrafo percebia a vida através do visor.

No 2º andar, Chiodetto selecionou 93 fotos, das quais a maior parte está agrupada em dois núcleos: "Conflitos" e "Retratos". No primeiro estão imagens de coberturas fotográficas em eventos históricos como o fim da Segunda Guerra Mundial - durante a qual HCB ficou anos preso num campo de concentração até conseguir fugir - a ascensão do comunismo na China e a morte de Gandhi na Índia, entre outros acontecimentos. Em “Retratos” o público poderá apreciar registros de personalidades, geralmente realizados quando o fotografado se distraia, como o pintor Matisse, o filósofo Roland Barthes e o escritor Truman Capote, além de outras imagens captadas por ele em viagens pelo mundo.
Para Eder Chiodetto “Cartier-Bresson fotografava com o instinto de um caçador que persegue obstinadamente sua presa, com um faro particular para capturar flagrantes. Sua busca incansável era pelo momento em que o universo em harmonia conspira a favor do artista. Uma fração mínima de tempo em que forma e conteúdo atingem o limite da expressão entre as quatro linhas do retângulo do visor da câmera”.

OS FILMES

No espaço expositivo do térreo haverá a exibição do filme L’Aventure Moderne: Henri Cartier-Bresson [A Aventura Moderna: Henri Cartier-Bresson], em que o diretor Roger Kahane mostra em 29 minutos uma entrevista com o fotógrafo intercalada com cenas raras dele trabalhando em meio à multidão anônima de Paris. Dirigido pela fotógrafa Sarah Moon, o curta H.C.B. Point d'interrogation? [H.C.B. Ponto de Interrogação?] exibe entrevista o artista em clima de intimidade. Em Contacts: Henri Cartier-Bresson [Contatos: Henri Cartier-Bresson] o editor Robert Delpire apresenta as folhas de contatos dos filmes do fotógrafo desvelando seu processo criterioso de edição. Os filmes terão áudio original em francês e legendas em português.


MOSTRA BRESSONIANAS

Com curadoria de Eder Chiodetto, essa mostra paralela terá 42 imagens de sete fotógrafos brasileiros que assumem em suas obras a influência de Cartier-Bresson. São eles: Cristiano Mascaro, Carlos Moreira, Juan Esteves e Tuca Vieira de São Paulo, Flávio Damm, do Rio de Janeiro, Orlando Azevedo, de Curitiba e Marcelo Buainain, de Natal.
“A paixão pelo prosaico e pela fugacidade da vida são marcas profundas da obra bressoniana. Sua investigação não buscava a obtenção de fotografias grandiosas, mas sim, a descoberta da beleza e da delicadeza dos pequenos gestos cotidianos, reveladores da face humana”, define o curador da mostra Eder Chiodetto, que partiu desta premissa para conceber Bressonianas, que ocupará o espaço expositivo do 3º andar.

Uma extensão desta mostra paralela estará exposta na galeria externa do SESC Santana.

O LIVRO

O Livro Henri Cartier-Bresson: Fotógrafo é a síntese do trabalho deste homem que revolucionou a fotografia. Publicado em 1979, o livro traz 155 fotos selecionadas pelo autor em conjunto com o editor Robert Delpire para representar sua extensa produção. Nele, Cartier-Bresson agrupou as imagens em seis módulos, de forma inesperada e surpreendente. Se em livros anteriores, como Les Danses à Bali (1954), D’une Chine à l’autre (1954) e Vive La France (1970), sua obra era apresentada em recortes temáticos específicos, nesta obra ele abre espaço para a reflexão do leitor, convidado a estabelecer relações inéditas e pessoais sobre as fotos.

O livro Henri Cartier-Bresson:Ffotógrafo é uma co-edição das Edições SESCSP e a Cosac Naify e seu lançamento acontecerá na abertura da exposição, dia 16 de setembro, às 20h. Não por coincidência, a exposição e o livro levam o mesmo nome, pois as 133 fotos que compõem a mostra estão na publicação das Edições SESCSP e Cosac Naify.


PROGRAMAÇÃO INTEGRADA

Uma programação integrada reúne os fotógrafos da mostra Bressonianas, pesquisadores e escritores com o intuito de levantar questões acerca do fotojornalismo contemporâneo. Serão oficinas, bate-papo, relatos, saraus e cursos. Confira a programação completa.


OS DEBATES

Com intuito de ampliar as discussões sobre a importância da obra de Cartier-Bresson o SESC realizará dois debates intitulados “O Acaso Objetivo”. Com mediação de Eder Chiodetto, coordenador do projeto, ambos os debates trarão uma leitura pessoal de cada convidado acerca da obra do artista, bem como uma discussão acerca do “Momento Decisivo”, a partir de uma reflexão da presidente da Fundação Henri Cartier-Bresson, Agnès Sire, que escreveu recentemente um artigo dizendo que a forma como o “Momento Decisivo” foi propagado distorce e banaliza a obra do fotógrafo francês. Na noite de 18/09, às 20h na Sala de Leitura, 2º andar, os convidados serão a professora Helouise Costa, do Museu de Arte Contemporânea - USP e o diretor e curador da Maison Européenne de la Photographie Jean-Luc Monterosso. No sábado, dia 19/09, às 18h no mesmo local, reúnem-se o professor Maurício Lissovsky da Universidade Federal do Rio e Janeiro e o crítico e curador francês Gabriel Bauret.


I. O RETRATO

Pratas da Casa
Oficina de produção de retrato. Os participantes percorrem a Unidade para produzir retratos dos freqüentadores. Noções técnicas de fotografia e formas de abordagem. Com a fotógrafa Daniela de Moraes.
26/09, sábado, Internet Livre, 25 vagas, 17h.

Retratos em Pinheiros
Oficina destinada à Terceira Idade. Por meio de aulas e saídas fotográficas, os participantes desta oficina irão aprender a produzir retratos dos moradores de Pinheiros em seu cotidiano. Com o fotógrafo e educador Daniel Queiroz.
07, 08 e 09/10, quarta/quinta/sexta, Internet Livre, 14h.
Internet Livre

Retratos urbanos
A fotografia e a cidade são os temas principais dessa conversa com o fotógrafo. Com Cristiano Mascaro.
06/11, sexta, às 20h.
Auditório.


II. FOTOJORNALISMO

Fotojornalismo: realidades construídas e ficções documentais
Bate-papo com Eder Chiodetto, organizador da exposição e ex-editor do jornal Folha de S.Paulo. Eder problematiza o atual estágio da fotografia na imprensa sob diversos aspectos, tais como a imposição de um olhar hegemônico, mitos e verdades sobre a manipulação na era da fotografia digital.
27/11, 20h, sexta.
Sala de Leitura/Auditório

Relatos do Submundo: Encontros da Madrugada
Fotojornalistas que batem o cartão após a meia-noite, contam sua experiência de fotografar a cidade durante a madrugada. Durante a conversa, eles mostram algumas imagens que marcaram suas carreiras.
Com os fotojornalistas Apu Gones, Flavio Florido, Lawrence Bodner
23/10, sexta, 20h
Sala de Leitura

Fotojornalismo: todo mundo pode?
Oficina sobre as transformações técnicas e a massificação dos aparelhos eletrônicos. A capacidade de registrar criticamente acontecimentos do cotidiano pode nos transformar em fotojornalistas? Com o fotógrafo Otávio Valle.
04, 10, 11/10, sábado e domingos, 11h.
Internet Livre

III. MOMENTOS DE INDECISÃO

A construção da imagem na arte ocidental
Mini-curso sobre os processos históricos de construção de imagem: da pintura ao desenvolvimento da fotografia. Pretende desenvolver uma leitura crítica do universo imagético produzido pela arte ocidental a partir do Renascimento, até o século XIX, momento em que esse gênero se expande da linguagem pictórica para a fotográfica. Com a professora de história da arte Paula Palhares.
10, 12, 17, 19/11, terça e quinta, das 20h às 22h.
Sala de Oficinas


IV. URBANIDADE

Saída Fotográfica: Centro
Os participantes da oficina encontram-se no SESC Pinheiros e saem para fotografar o entorno da Av. 9 de Julho e Praça da Bandeira. Com o fotógrafo Tuca Vieira.
20/09, domingo, 11h
Sala de Atividades

Saída Fotográfica: Av. Paulista
Os participantes da oficina encontram-se no SESC Pinheiros e saem para fotografar o entorno da Av. Paulista. Com o fotógrafo Daniel Kfouri.
24/10, sábado, 10h30.
Internet Livre

Saída Fotográfica: Elevado Costa e Silva
Os participantes da oficina encontram-se no SESC Pinheiros e saem para fotografar a região do Minhocão. Com o fotógrafo Sérgio Barzaghi.
31/10, sábado, 11h
Internet Livre

V. NARRATIVAS BRESSONIANAS

Fotografias literárias
Criação de pequenos contos, poemas e histórias a partir de saídas fotográficas.
Com o escritor Samir Mesquita e o fotógrafo Eduardo Muylaert
16, 17 e 18/10, sexta às 20h, sábado e domingo às 11h.
Internet Livre

Minicontos de Cartier-Bresson.
A proposta da oficina é a criação de micro-contos a partir de diversas fotografias de Henri Cartier-Bresson. Com a escritora Andréia DelFuego.
07 e 08/10, 19h, quarta e quinta.
Internet Livre

Sarau Fotográfico
Os escritores Fabrício Carpinejar e Marcelino Freire escolhem trabalhos de Cartier-Bresson e outros fotógrafos, criam poesias e recitam obras conhecidas.
29/10, quinta, 20h.
Sala de Leitura

Crônicas Fotográficas
Com exercícios de percepção e interpretação de imagens, a proposta da oficina é trabalhar a construção de crônicas a partir de fotografias levadas pelos participantes.
Com orientação do escritor Fabrício Carpinejar
30/10, sexta, 20h.
Sala de Leitura

Histórias de Elevador
O momento de indecisão no elevador.
Por Samir Mesquita.
De setembro a dezembro, em elevador da Ala Paes Leme

O projeto Henri Cartier-Bresson é destaque do Ano da França no Brasil, que acontece de abril a novembro de 2009, em diversas cidades brasileiras, com o objetivo de estreitar laços entre os dois países. Em São Paulo, o SESC traz uma programação abrangente com espetáculos, shows, palestras e debates nas mais diferentes áreas.


• SERVIÇO
EXPOSIÇÃO
HENRI CARTIER-BRESSON – FOTÓGRAFO
Área de exposições, Térreo e Sala de oficinas, 2º andar
16 de setembro, às 20h (para convidados)
Visitação de 17 de setembro a 20 de dezembro 2009
Ter a sex, das 10h30 às 21h30 | sab, dom e fer, das 10h30 às 19h30


MOSTRA BRESSONIANAS
Área de exposições - 3º andar
16 de setembro, às 20h (para convidados)
Visitação de 17 de setembro a 20 de dezembro 2009
Ter a sex, das 10h30 às 21h30 | sab, dom e fer, das 10h30 às 19h30

Assessoria de Imprensa do SESC Pinheiros:
Telefone: (11) 3095-9421 | 3095.9425 – Andréia Lima | Francisco Santinho
imprensa@pinheiros.sescsp.org.br


LANÇAMENTO DO LIVRO
HENRI CARTIER-BRESSON – FOTÓGRAFO
Coedição Cosac Naify e Edições SESC-SP

Organização: Henri Cartier-Bresson e Robert Delpire; Prefácio: Yves Bonnefoy; Orelha: Augusto Massi; Tradução: Célia Euvaldo

Capa dura em tecido com sobrecapa
28,5 X 29,5 cm
344 páginas
155 fotografias P&B
R$ 170,00
ISBN 978-85-7503-820-8

Assessoria de Imprensa das Edições SESCSP
Lítera – construindo diálogos
Telefone> (11) 3673.7270 - Maria Luiza Paiva
luiza@litera.com.br

Assessoria de Imprensa da Cosac Naify
Telefone: (11) 3218-1466 – Ana Domingues
anadomingues@cosacnaify.com.br


SESC Pinheiros
Endereço: Rua Paes Leme, 195
Horário de funcionamento da Unidade - Terças a sextas, das 13h às 22 h. Sábados, domingos e feriados, das 10h às 19h.
Tel. para informações: 11 3095.9400
ESTACIONAMENTO – COM MANOBRISTA – VAGAS LIMITADAS - Veículos, motos e bicicletas - Terças a sextas, das 7h às 22h; Sábados, domingos e feriados, das 10h às 19h. Taxas: Matriculados no SESC: R$ 5,00 as três primeiras horas e R$0,50 - a cada hora adicional // Não matriculados no SESC: R$7,00 as três primeiras horas e R$1,00 - a cada hora adicional. Informações sobre outras programações ligue 0800 118220 ou consulte o site: www.sescsp.org.br